Loading...

segunda-feira, 17 de maio de 2010

DESAMOR


Nestas lágrimas
Onde passam os sonhos
O universo conspira desilusões

Neste corpo inerte
A minha alma tristonha
Confabula nestas minhas saudades

O teu amor era tudo
Que um pobre poeta articulava:

As manhãs ensolaradas
Não prestavam mais para nada
Sem o teu sorriso enfeitando ilusões

Uma força maior
Desarticulou as quimeras
E o desamor emborcou venenos:

Em nossas bocas
Sedentas de conceitos lúdicos

Nas asas do desamor...

Nenhum comentário:

Postar um comentário