Loading...

domingo, 27 de junho de 2010

MÁSCARAS DO PUDOR

 Uma luz me impede
 De ver a minha alma reluzindo;
 Mas o meu pensamento não cede
 A esta luz e vai-se indo...
o Meus olhos arregalados
o São duas pústulas horripilantes;
 Mas a vida de todos os algemados
 Não sofrem como antes...
 Desdobro a face postulada
 Numa viagem cíclica das sementes;
 Mas pressinto a voz da amada
 Nos meus versos ausentes...
 Vibrações magnetizantes
 Englobam as minhas faces de pudor;
o Mas os meus sonhos eletrizantes
o Vangloriam o meu amor...
 Represento a minha vida,
 Sob a tutela dos Espíritos Superiores;
 Mas a minha estrada repartida
 É o meu covil de dores...

(por Fernando Pellisoli)


Nenhum comentário:

Postar um comentário