Loading...

quarta-feira, 30 de junho de 2010

VENENO

Ó destino monstruoso,
 E sou vaporoso e me refaço

 Ó veneno como não bebê-lo
 Mas por não tê-lo comi meu feno
 Enquanto a vida repassava desilusões

 Sem amor fico desnutrido
 - até meio enrustido ou meio dado...

 Ultrajes ilógicos pensamentos
 Mas não encontrei o alento no amor:
 Doutora em psicologia sem saber se doar

 Vencido (sofrendo escoriações)
 Entreguei as minhas emoções endividadas

 E bebi o teu veneno...

(por Fernando Gomes)


Nenhum comentário:

Postar um comentário