Loading...

terça-feira, 29 de junho de 2010

TRANSTORNO

Separei o sonho dela:
 Cinderela amor perpétuo!

 Ó este transtorno
 - torpor da ilusão dos tempos:
 Indócil nas mãos do fado eu desencantei

 Esta aba celestial
 E o luto do teu véu transtornou-me

 Sofri os meus dissabores
 Sem ver flores ou ouvir bem-te-vis
 Anunciando a mutilação opaca dos deuses...

 Dividi a minha guarida
 E não curei a ferida do meu inseto

 Este transtorno reumático
 Desenhado neste corpo incinerado
 Matou a liberdade de o meu âmago revoar

 Separamos os corpos:
 Minha alma navega na tua lua...

(por Fernando Gomes)




Nenhum comentário:

Postar um comentário