Loading...

quarta-feira, 30 de junho de 2010

MALDADE

 Naveguei no teu destino
 E ao badalar dos sinos me abortei

 A metamorfose do teu ser
 Absorveu-me no limbo da mocidade
 Pulverizando os meus pulmões de dissabores

 Sem o rebrilho no olhar,
 Quanto a te amar nunca te esquecerei?

 Perdi o nosso par perfeito
 Motivado pela maldade em agonia
 E a impura maresia me lambia em verso

 A vela derreteu o teu amor:
 Coabito neste desamor maquiavélico!

 Um sonho irremediável
 - pêndulos pesadelos bélicos
 Onde a maldade da solidão solidifica

 Naveguei no meu suplício:
 Desbravo tristezas nos mares da saudade...

(por Fernando Gomes)





Nenhum comentário:

Postar um comentário