Loading...

terça-feira, 29 de junho de 2010

SUPLÍCIO

 Se pra morrer eu não tenho jeito,
 Descrevo o amanhã entupido de destroços.
 Já que eu não sou perfeito
 Na minha carne e nos meus ossos.

 Agüento este vórtice de alucinações
 Desintegrando os defeitos da minha alma,
 Visualizando esféricas inalações
 De um burro emburrado
 [e sem calma.

 Aumento o teor da minha dor
 No desperdício do meu tempo precioso,
 Pois eu (sem a fábula do teu amor)
 Sou preguiçoso e ocioso...

 Se pra morrer eu não tenho jeito,
 Descrevo o amanhã entupido de destroços...

(por Fernando Gomes)



Nenhum comentário:

Postar um comentário