Loading...

terça-feira, 29 de junho de 2010

DESTINO INCURÁVEL

 Presto-me em desfolhar a página deserta,
 Deslumbrando-me de tédios inteiros...
 A besta de boca aberta
 Manobra os meus canteiros...

 Não me importo com o teu pensamento,
 Que me deturpa o limo primeiro,
 Pois navego em cima do teu vento
 Descrevendo o meu sentimento no meu letreiro
 [de luares urgentes...

 Nasci pra morrer de infelicidade,
 Compondo tristes poemas
 De real eternidade
 Nos meus sistemas...

 Vivo nesta bobeira
 De poesia triste e feiticeira
 Como uma minhoca morta no anzol da vida...

(por Fabiano Montouro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário