Loading...

domingo, 27 de junho de 2010

TRAGÉDIA SOBERANA

• Talvez nem Deus
 Possa fazer renascer a minha alegria,
 Pois são de tristeza os olhos meus
 Noturnamente e de dia...
 Como arrancar esta dor
o Encravada dentro do meu coração?
o Como esquecer-me do grande amor
o Que feneceu a minha emoção?
 E esta vida estagnada,
 Cheia de tropeços e decepções?
 O que sobrou da madrugada
 Dos meus sonhos sem ações?
 Vivo dentro de um labirinto
 Procurando sempre a mim mesmo,
 Mas não me encontro e não me sinto
 E então eu vivo a esmo...
o Os momentos me passam
o Advertindo-me da minha ociosidade;
o Mas as previsões fracassam
 No vazio fundo da minha identidade...

(por Fernando Pellisoli)


Nenhum comentário:

Postar um comentário