Loading...

sábado, 12 de junho de 2010

SOBRE AS DÚVIDAS



Deixou, nos teus escombros,
Uma multidão de descaminhos improdutivos,
Na inadimplência da tua vida vulgar.
Compraste os teus sonhos materialistas
Nos bares e nos bordéis
Com as mulheres destituídas de amor.
Pensaste que os teus prazeres efêmeros
Elevar-te-iam à felicidade suprema
No gozo enternecido do teu orgasmo.
Acumulaste uma infinidade de dúvidas
No teu projeto existencial?
Desacreditas na vida após a morte,
E por isso te entregas as tuas frivolidades,
Aos teus encantamentos momentâneos
Das tuas ilusões carnais...
Duvidas da existência de Deus
Tanto quanto tu duvidas de ti mesmo
Em teus pensamentos impróprios,
Sutis e infantis...
Quando é que tu vais
Compreender a funda filosofia
Da essência do Ser?


Nenhum comentário:

Postar um comentário