Loading...

domingo, 14 de fevereiro de 2010

A MINHA POESIA

A minha poesia
É apenas um instante de lucidez
Na escadaria dourada da minha eternidade

São fragmentos de tristezas
E resquícios de alegrias que se foram através dos tempos

A minha poesia
É o que sobrou do anjo de asas caídas
Que sobrevoou a incandescência dos amores perdidos
Na indecência do desamor

O desejo da minha morte
É a sorte que não tive de ser um amante feliz

Suponho que a minha cegueira
Em não ver que o meu destino anda desalinhado
É este caos absoluto da palavra a/deus

A minha poesia
É do tecido das madrugadas insensatas e escarpadas
Que me escapa das minhas mãos sonhando luares

Nenhum comentário:

Postar um comentário