Loading...

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

DELÍRIOS MADRUGADORES

Ó como sonhei em ser estrela
Numa juventude apinhada de atrocidades

Navegava em nuvens turbulentas
Meu carrossel de ilusões espalhando prantos
E o sucesso que não vingou monstruosamente gélido

Suspiros alucinantes desasavam
E a luminosidade do meu olhar desencantava

E o amor carente de afagos
Definhava em largos passos perpassados
Tanto que o desenlace se deu dorido vertiginosamente

Ó como sonhei em ser estrela
Mas o sol incandescente renegou o meu lugar

E tornei-me este desastre em curso

Nenhum comentário:

Postar um comentário