Loading...

domingo, 4 de julho de 2010

LAMAÇAL DE VERSOS



 Vertentes devolutas inscientes
 Debruçam-se sobre o dorso das palavras

 Escuridões de beijos lascivos
 Percorrendo os corrimões da ilógica
 Como os fantasminhas noturnos das nossas irrealidades

 Vislumbrantes distúrbios da eternidade
 Intercalando os tempos materiais de escolaridade

 Chiqueiros poéticos da perversão
 Escachando as multidões de bactérias nojentas
 Aliciando as convenções dos porcos chauvinistas horripilantes

 Ó esta incompetência das verdades desconhecidas!

 Abraços desamorosos de interpelações
 Diagnosticando desilusões fermentadas no ópio

 Quebrantes indecentes de enforcamentos
 Desalinhando as mentalidades chapadas e vulcânicas
 Como a quebra dos trilhos desencarquilhando as mobilidades

 Ó este meu lamaçal de versos!

(por Fernando Pellisoli)




Nenhum comentário:

Postar um comentário