Loading...

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

RUMOREJO

Sem a acefalia,
O meu povo abunda

E o murmúrio do vozerio
Porquanto um acalorado poeta
Como um achego se pronuncia louco

Acavalados,
Os políticos acidulam!

E o povo sempre acoimado
Porquanto acalantar sonhos acéfalos
Como acerar indulgências que serão acerbos:

E o meu acoroçoar
(porquanto a acracia é visível)

Acossando...

(por Rafael Gafforelli)

Nenhum comentário:

Postar um comentário